Como anda sua gestão de capital de giro? Veja 5 dicas para melhorar

17 Setembro, 2020

Compartilhar

A gestão de capital de giro garante o dinheiro em caixa para cobrir todas as despesas e manter sua empresa operando no azul.


Se não for realizada corretamente, o resultado pode ser o aumento do custo do capital e falta de dinheiro para cumprir as obrigações do negócio.


Por isso, é essencial manter um fluxo de caixa equilibrado e controlar de perto as contas a pagar, contas a receber e estoque.


A seguir, vamos entender como funciona a gestão de capital de giro e como agilizar esse processo na sua empresa.


Continue lendo e tenha mais um instrumento para garantir a saúde financeira do seu negócio.


O que é gestão de capital de giro


A gestão de capital de giro é uma das funções essenciais do departamento financeiro, que consiste em gerenciar os ativos e passivos circulantes para garantir a liquidez do negócio.


No caso, ativo circulante é todo bem ou direito da empresa que pode ser facilmente transformado em dinheiro, como o próprio saldo da conta corrente e o estoque, enquanto  passivo circulante é toda dívida que a empresa precisa pagar em curto prazo, como contas e impostos.


Logo, para que a empresa sustente suas operações, é preciso garantir que o dinheiro em caixa seja suficiente para cobrir todas as despesas e obrigações — daí a necessidade de dimensionar o capital de giro.  


Essa reserva é destinada às contas que possuem “giro”, ou seja, fazem parte do dia a dia e sustentam as operações do negócio, como pagamentos de fornecedores, estoques, salários, etc. 


Mas sempre há momentos em que a empresa tem mais despesas do que fontes de receita, dependendo de fatores como sazonalidade, controle do estoque e prazos de pagamento, por exemplo.


É aí que entra a gestão de capital de giro, que tem a função de equilibrar as contas e garantir um ciclo operacional mais eficiente. 


Importância da gestão de capital de giro


A gestão de capital de giro é fundamental para otimizar o uso dos recursos e garantir que nunca falte dinheiro para cumprir com as obrigações da empresa.


Para isso, o gestor responsável precisa ficar atento à gestão do estoque, contas a receber e a pagar, controle de inadimplência, entre outros fatores que impactam diretamente o fluxo de caixa do negócio.


O objetivo é operar com o mínimo de capital de giro possível e ter um ciclo operacional tranquilo, evitando ao máximo a necessidade de tomar empréstimos (ou minimizando o período e os juros). 


Quanto mais eficiente for a gestão, maior será o retorno sobre o capital, lucratividade e liquidez da empresa.


Existem várias estratégias possíveis para gerenciar o capital de giro, que podem ser mais conservadoras (alta liquidez) ou mais agressivas (baixa liquidez).


A escolha certa depende dos objetivos da empresa e das características do seu ciclo de operação. 



5 dicas para melhorar sua gestão de capital de giro


Ter uma boa gestão de capital de giro é essencial para manter a saúde financeira da empresa e reduzir os custos de financiamento bancário.


Confira algumas dicas para aplicar no seu financeiro.


1. Faça projeções periódicas


A gestão de capital de giro eficiente exige um bom planejamento financeiro e projeções contínuas. 


Afinal, você precisa prever os possíveis cenários futuros para entender se a empresa terá recursos suficientes para cobrir suas despesas.


Assim, se a conta não fechar, você pode antecipar o problema e tomar decisões para evitar prejuízos ou reduzir o custo de capital. 


2. Calcule a Necessidade de Capital de Giro


Uma das formas de prever o quanto a empresa precisa ter em caixa para manter sua estrutura operacional é calcular a Necessidade de Capital de Giro (NGC).


Para isso, basta usar a fórmula:


- NGC = Ativo circulante operacional - Passivo circulante operacional


Se o resultado for negativo, significa que o desembolso com contas a pagar é superior aos ativos disponíveis na empresa — o que exige o financiamento de mais capital de giro.


Do contrário, um resultado positivo indica que a empresa está se sustentando sem precisar recorrer ao capital de terceiros. 


Outra opção é calcular a Necessidade de Capital de Giro com base nos prazos de pagamento e recebimento, conforme a fórmula abaixo:


- NGC = Prazo médio de recebimento - Prazo médio de pagamento


Quanto maior for o prazo de pagamento de fornecedores e menor o de recebimento, mais eficiente será a gestão de capital de giro. 


3. Controle o estoque


O controle de estoque é um dos pontos-chave para uma boa gestão do capital de giro.


O objetivo é manter o estoque em níveis adequados à realidade da operação e do mercado, evitando o desperdício ao mesmo tempo em que se garante a disponibilidade para os clientes.


Dessa forma, o processo de produção mais eficiente e estoque mínimo reduzem a necessidade de capital para financiar o giro do negócio — e, consequentemente, a necessidade de crédito


4. Fique de olho na inadimplência


A inadimplência é um dos principais fatores de risco que afetam o capital de giro das empresas.


Por isso, é importante ter um controle rígido das contas a receber, implementar um bom processo de cobrança e facilitar a adimplência de clientes.


Além disso, o prazo de recebimento deve ser padronizado para conciliar as entradas e saídas do caixa. 


5. Cuide das contas a pagar


Organizar as contas a pagar é outra tarefa que ajuda a manter a saúde do caixa.


Nesse caso, é preciso ter uma boa política de periodicidade de pagamentos, com prazos padronizados e planejamento sempre em dia.


Assim, fica mais fácil garantir o capital necessário para honrar todos os compromissos do negócio e evitar dívidas.



Gestão de capital de giro com a Gerencial Consultoria 


Se falta tempo e recursos para agilizar sua gestão de capital de giro, a terceirização pode ser a melhor solução.


Com o serviço de BPO Financeiro da Gerencial Consultoria, você terá uma equipe especializada cuidando das contas a pagar, contas a receber e projeções do fluxo de caixa da sua empresa.


A vantagem é ganhar tempo para focar em objetivos estratégicos do seu negócio e deixar a gestão financeira em boas mãos, com um custo-benefício superior à formação de equipes internas.


Além disso, você terá uma redução significativa de custos operacionais e poderá acessar suas projeções financeiras a qualquer momento para a tomada de decisão. 


E então, ficou clara a importância da gestão de capital de giro e como melhorar o processo na sua empresa?


Se quiser apoio de especialistas para colocar as dicas em prática, fale com a gente